83 3044 1000

João Pessoa

Olá, como você se chama?

Concessão de pensão por morte após a perda da qualidade de segurado

Por Edmar Araújo (Advogado Associado)

Por Edmar Araújo (Advogado Associado)

Para a concessão do benefício de pensão por morte os dependentes do segurado precisam comprovar o vínculo de parentesco e dependência econômica em relação ao falecido, que pode ser, em determinados casos, presumida. Além disso, é necessário que, no momento do óbito, o instituidor possua qualidade de segurado.

Ocorre que em 09 de julho de 2020, fora publicada portaria conjunta INSS/PFE Nº 05 para comunicar o cumprimento da decisão judicial proferida na Ação Civil Pública nº 5012756-22.2015.4.04.7100/RS, regulamentado as situações em que os dependentes continuam tendo direito à pensão por morte, mesmo quando o falecido tiver perdido a qualidade de segurado no momento do óbito, conforme art. 377 da Instrução Normativa IN77/2015.

Uma das situações é quando o falecido não possui mais qualidade de segurado na data do óbito, porém, tem reunido todos os requisitos para a concessão de uma aposentadoria até a data do falecimento. Nessa hipótese, deverá ser concedida aos seus dependentes a pensão por morte.

Outra possibilidade de concessão da pensão por morte, mesmo após a perda da qualidade de segurado após a data do óbito, é quando se comprovar que o instituidor, dentro do período de graça, já padecia de incapacidade permanente que perdurou até a data do óbito. Trata-se da constatação da DII (data de início da doença) por meio de perícia indireta que ocorre pela análise da documentação médica do falecido. Logo, se o início da doença que levou o instituidor a óbito tiver ocorrido enquanto o mesmo se encontrava em período de graça, mesmo que o óbito ocorra após a perda da qualidade de segurado, deve ser concedida a pensão por morte, desde que, preenchido os demais requisitos legais.

A mencionada decisão judicial alcança todo território nacional, portanto, para quem, nessa situação, teve seu pedido de pensão por morte indeferido a partir de 05 de março de 2015, poderá realizar pedido administrativo de revisão com intuito de obter a concessão do benefício, bem como, o recebimento dos valores devidos desde a data de seu requerimento. Procure um advogado especialista em direito previdenciário de sua confiança.

Posts Relacionados

Publicações

Você tem alguma ação na Justiça? Saiba como o parcelamento dos precatórios irá interferir em seu direito

21 Outubro 2021

Por Thuan Nunes (advogado Associado) @thuannunes0

Publicações

Dependentes químicos podem ter direito a benefício previdenciário ou assistencial?

21 Outubro 2021

Por Valeska Leitão (Advogada Coordenadora)

Publicações

Como reduzir custos na empresa e aumentar a lucratividade?

21 Outubro 2021

Confira as 5 dicas.

Publicações

Justiça Federal na Paraíba reconhece incapacidade permanente de agricultor portador de Lúpus

19 Outubro 2021

Por Inayara Ramalho (advogada Associada)

Publicações

Revisão de benefício para inclusão ou correção de remunerações

18 Outubro 2021

Por Dayenne Paiva (advogada Associada)